sexta-feira, 26 de abril de 2013

FOTOS ANTIGAS DA CIDADE NOVA DE MANAUS




CIDADE NOVA, UM CONJUNTO HABITACIONAL POPULAR
A partir da década de 70 (1970), a fim de reorganizar a cidade de Manaus, José Lindoso decidiu prover moradia à população de baixa renda criando o projeto Cidade Nova. Nascia, portanto, o maior conglomerado habitacional da cidade de Manaus, a Cidade Nova. No início foram 1.800 casas, para atender a população oriunda do interior em busca de emprego no Pólo Industrial de Manaus, além dos habitantes às margens do rio Negro que viviam em palafitas e funcionário públicos do governo do Amazonas.  O bairro cresceu rapidamente. Preocupado com este crescimento, no início do governo Gilberto Mestrinho, o projeto Cidade Nova recebeu novos investimentos para a construção de novas casas (desta vez, chamadas de embriões, devido suas dimensões terem fugido ao projeto inicial).  Formado por vinte núcleos  Na segunda fase, a Cidade Nova foi projetada em forma de núcleos separados e pouca comunicação entre si. Cada núcleo era responsável por seu próprio desenvolvimento. Atualmente, a Cidade Nova é um grande aglomerado humano formado de 20 núcleos, além de abranger outras comunidades em seu entorno (fruto de invasões), conjuntos e condomínios.  Como  parte da Cidade Nova estão os conjuntos e comunidades entre eles, Renato Souza Pinto I e II, Ribeiro Junior, Francisca Mendes, Manoa, Mundo Novo, Osvaldo Frota I e II, Amazonino Mendes, Mutirão, Oswaldo Américo, Américo Medeiros, Canaranas, Vale do Sinai, Monte Sinai, Campo Dourdado, Riacho Doce, Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, Boas Novas entre outros. Mais recentemente foi construído fazendo parte da Zona Norte e agregados a ela, os conjuntos Galiléia, São José da Barra I e II e Nova Cidade.  Maior Conjunto da cidade Para os especialistas no assunto, a Cidade Nova se tornou o maior conjunto habitacional de Manaus com uma população estimada em mais de 300 mil habitantes. Apesar do aumento contínuo e acelerado da ocupação humana na Cidade Nova, nos últimos anos, o bairro ganhou um terminal de integração de transporte coletivo, implantação de agências bancárias (Banco do Brasil, Bradesco e Caixa Econômica Federal), dois grandes supermercados, auto peças, lojas de armarinhos, metalúrgicas, postos de gasolina, lojas de departamentos e eletro domésticos, drogarias, academias de ginásticas e uma praça de alimentação.  A Cidade Nova revela ainda em seu crescimento uma concentração de templos religiosos dividindo o mesmo espaço.Na década de 1980 temos um grande número de loteamentos feitos pelo poder público como os bairros do São José, Zumbi do Palmares, Armando Mendes e Cidade Nova. O Estado e a Prefeitura da época realizaram loteamentos com o intuito de entregar a população uma área asfaltada, com luz elétrica, água encanada e lotes demarcados.


















2 comentários:

  1. Saí da zona sul, bairro da Betânia, e hoje, resido na Cidade Nova. Manaus está-se expandindo, mas, o poder público não consegue ordenar o inchaço que ocorre devido, principalmente, à falta de vontade política. Hoje, são 30/06/2013(DOMINGO), e as eleições de 2014 para Governador, Presidente da república, Senado, Deputados Federal e Estadual estão-se aproximando, e não exite nenhuma perspectiva de voto consciente ainda, infelizmente.

    ResponderExcluir
  2. Ao ler o cometario acima e á materia supracitada, so chego a uma conclusao, nada muda e nada mudara. Essa acao tomada ha decadas se repete como o chamado Viver melhor: tirar pessoas das palafitas, areas pobres, etc, etc, etc e da mesma forma se repetira ďecsdas a frente.
    O que nasce pra ser fracasso, jamais sera soberano: Brasil

    ResponderExcluir